Hanoi & Halong Bay, Vietnã

Hanoi & Halong Bay, Vietnã foram a nossa última parada da primeira viagem pelo Sudeste Asiático, se você quiser saber mais sobre esta aventura deliciosa, veja nossos posts anteriores sobre Camboja e Tailândia aqui.

dsc07466
Felizes viajantes…

Hanói é a capital do Vietnã e a segunda maior cidade do país, perdendo apenas para Ho Chi Minh. Está localizada a 1760km ao norte de Ho Chi Minh e possui mais de 7 milhões de habitantes.

Não falei sobre o tráfego no texto anterior, mas este é um assunto ótimo para começar uma conversa com qualquer local. O trânsito no Vietnã em geral é uma bagunça organizada (sim, super organizada para eles). São carros, motos e pedestres por todos os lados, andando e dirigindo por todas as vias de uma forma totalmente bagunçada (pra nós). Atravessar a rua por lá é uma aventura! Você tem que manter o seu ritmo e não parar no meio do caminho. Fica a cargo das motos e dos carros acharem uma forma de continuar o trajeto sem te atropelar. Eles andam devagar, o que ajuda o tráfego a fluir, mas caso você mude de idéia no meio da rua, saia correndo ou sei lá, pare para tirar uma foto… aí você correrá perigo!

Como não teríamos muito tempo para curtir a cidade e ainda queríamos conhecer HaLong Bay, decidimos que este seria o passeio do dia seguinte e, quando voltássemos, iríamos conhecer um pouco de Hanói.

O passeio por HaLong Bay

Fechamos um tour de um dia, porque infelizmente não teríamos mais tempo e fomos conhecer HaLong Bay, um destino popular entre os turistas e patrimônio mundial da UNESCO. Existem também passeios de mais de um dia, com a Calypso Cruiser (http://calypsocruiser.com/), onde você dorme nos barcos e visita ilhas mais distantes, com uma vista linda e silêncio absurdo.

Pegamos um mini-ônibus logo cedo, que foi nos buscar no hotel para ir até a baía e pegar o barco que nos levaria para as ilhas. São cerca de 180km de distância, mas levamos quatro horas no trânsito, numa estrada extremamente esburacada, com carros, motos e ônibus ultrapassando por todos os lados (literalmente, inclusive pelo acostamento do lado oposto). Impossível ficar tranquila nesse trânsito com motoristas malucos! Hehe!

HaLong Bay na nota Vietnamita.

Visitamos o conjunto de mais de 1900 ilhas de calcário (óbvio que não vimos todas elas! Haha!), porém apenas cerca de 40% delas são conservadas pela UNESCO. Uma visita sensacional, valeu a pena o trajeto doido até lá!

Thien Cung Caverna.

Visitamos a caverna Thien Cung, que em português significa ‘Palácio do Céu’ e é uma das cinco mais antigas da baía, com mais de 11mil anos de idade. Ela é cheia de estalagmites e estalactites, fica localizada à 20m acima do nível do mar e possui uma área de 3mil metros quadrados.

Passeamos de barco pelas grutas, almoçamos no barco-balsa em que estávamos e andamos de caiaque nas cavernas… O lugar é lindo, mas um pouco sujo e mal-conservado. Possui cerca de 1600 pessoas morando em casas flutuantes, nas quatro vilas de pescadores ao redor das ilhas de calcário.

HaLong Bay foi uma área muito importante na história do Vietnã, foi o primeiro porto internacional do país, durante o século 12 e foi também local de batalhas navais entre os séculos 10 e 20. As ilhas são um labirinto, muito fácil de se perder quando você não conhece bem a área! Avistando-as de longe, parecem uma única montanha de pedras. Ou seja, muitos barcos se perdiam em meio às ilhas durante a guerra e outros simplesmente desistiam de atravessar, por pensar que não seria possível.

Passeio de caiaque pela gruta.

Quando estávamos lá, descobrimos que HaLong Bay está localizada a menos de 180km da divisa com a China, entrando pelo sul, em Guangxi. Nossa, na hora deu uma vontadinha de esticar a viagem e conhecer um pouquinho da China, ainda mais depois de termos levado tanto tempo para chegar até lá… Mas este país ficará para a próxima viagem.

Mini tour em Hanói

Voltamos para Hanói no final da tarde, cansados do passeio, mas muito felizes por termos conhecido um lugar tão especial. Fomos direto para o Charming 2 Hotel, onde estávamos hospedados. Super bem localizado, no famoso ‘Old Quarter’, os quartos eram espaçosos e limpos, tínhamos café da manhã incluso e os funcionários do hotel eram extremamente atenciosos e amigáveis. Para quem for visitar Hanói, aproveite a dica: Foi, sem dúvida alguma, o melhor serviço que recebemos em um hotel no sudeste asiático inteiro até hoje. Aliás, arrisco dizer que um dos melhores serviços de hotel que já tivemos desde sempre!

House of Son Tien
House of Son Tinh.

Tomamos um banho e saímos para jantar. Fomos a pé até um restaurante indicado pelo pessoal do hotel, chamado House of Son Tinh bem pertinho dalí. A comida estava deliciosa e também tivemos a oportunidade de experimentar o Son Tinh, um licor vietnamita feito de ingredientes 100% naturais, uma bebida bem gostosa que tem se tornado cada vez mais conhecida no mundo. Super recomendamos uma paradinha neste restaurante.

No dia seguinte, fomos passear por Hanoi.

dsc07460
Tran Quoc Pagoda.

Conhecemos a pagoda mais antiga da cidade, chamada Tran Quoc e construída durante o século 6. Ela está localizada no rio Vermelho, ligada ao continente por uma ponte. Normalmente as pagodas são da cor vermelha, pois de acordo com a cultura chinesa e vietnamita, esta cor representa sorte e prosperidade. A pagoda é muito bonita e possui uma energia super tranquila e agradável.

Outro fato muito interessante foi que quando o presidente da India visitou Hanoi em 1959, ele trouxe uma muda da árvore conhecida como ‘Bodhi’ (ou figueira sagrada), originada em Bodh Gaya, na India. Dizem que esta foi a árvore devaixo da qual Buda se sentou e alcançou a iluminação, o famoso ‘nirvana’. Ela é linda e suas folhas têm formato de coração.

Visitamos também o mausoléu de Ho Chi Minh, localizado ao centro do Ba Dinh Square. Foi o local onde a Independência do Vietnã foi proclamada, em 1945 e onde se encontra o corpo embalsamado de Ho Chi Minh, desde a sua morte, em 1969. O mausoléu está aberto para visitação das 9h às 11h da manhã diariamente. Saindo de lá fomos ao Museu dedicado à vida do grande líder, que fica ao lado e foi construído na década de 90. Dentro do museu existe um lindo jardim e a antiga casa de Ho Chi Minh, além de seus carros e a história revolucionária do país.

dsc07508
Grupos étnicos vietnamitas.

Em seguida, fomos até o Museu de Etnologia do Vietnã. Ele possui informações sobre roupas, casas e costumes dos 54 grupos étnicos oficialmente reconhecidos no Vietnã, aberto ao público em 1997 e hoje uma atração muito importante na cidade. Pelo jardim do museu foram construídas casas tradicionais de diferentes províncias do país.

Existem muitos museus e templos por lá. Fomos também até o Templo de Confúcio, erroneamente conhecido como Templo da Literatura, dedicado aos sábios e estudiosos. O templo abriga a ‘Academia Imperial’, a primeira universidade do Vietnã. Construído no século 10 e visitado até hoje por turistas e formandos locais.

Um país com muita história para contar e, dentre elas, histórias muito tristes e recentes. A maioria das pessoas com quem conversamos por lá, tinha alguma coisa para contar sobre a guerra relacionada à algum parente ou amigo. Esta é uma triste realidade ainda muito fresca na cabeça das pessoas. Por outro lado, é um povo muito feliz e orgulhoso da sua história, independentemente do quão difícil ela tenha sido.

Voltamos para o hotel para pegar as nossas malas e ir para o aeroporto. Foi quando descobrimos que tínhamos perdido o vôo! Achávamos que nosso vôo era à noite, mas quando verificamos descobrimos que ele era à tarde e já não dava mais tempo de pegá-lo. Depois de confirmar umas quatro vezes que realmente não daria para pegar o vôo ou alterá-lo, um dos funcionários do hotel entrou em contato com uma agência de viagens e levou o Cauê (em sua própria motocicleta) até a agência para efetuar o pagamento e pegar nossas novas passagens pro dia seguinte.

Tivemos que ficar mais uma noite no hotel, que estava lotado e eles foram tão gentis que nos deram o último quarto, que era usado pelos recepcionistas e funcionários, caso alguém tivesse que passar a noite por lá. Detalhe que mesmo sem ter culpa nenhuma do acontecido, eles nos deram desconto na diária e nos conseguiram um taxi pro aeroporto pela metade do preço.

Já que não tínhamos escolha, resolvemos curtir nossa última noite nessa cidade deliciosa e fomos jantar num restaurante de um outro hotel, que tinha uma comida deliciosa e uma vista bacana. Nós o descobrimos pelo TripAdvisor e achamos sensacional! 🙂

 

Espero que tenham gostado!

 

Beijos, Cauê e Mamá

 

 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *